Lançamento: Rashid & DJ Caique – Diário de Bordo 3 (DOWNLOAD + LETRA)

DOWNLOAD: http://www.mediafire.com/?ev3lqpokujp1fcg

LETRA:

As grades dos nossos portões, não são tão diferentes das prisões
Apenas proporcionam diferentes sensações/
Entre a falsa liberdade e a falta de liberdade
Falando nela, quem a conhece de verdade?/
Diga, essa base aqui é lenta tipo o governo, opostos
Porém pesada como os impostos/
Me posto, minha função é como dos apóstolos
Me apego ao conteúdo enquanto se iludem com rótulos/
Pra ver a verdade nessa terra usei binóculos
Nisso eu vi porcos, navios em nossos portos/
Com meus ancestrais expostos a castigo e humilhação
Como se houvesse razão pro chicote na sua mão/
Vitória, dos que nos consideram escória,
Seus livros mentem, por isso façamos história/
Bora, nossa hora de ter um lugar melhor
Não vão apagar com sangue o que escrevi com suor/
Do pior, desapego, minha raiz eu não nego
Se preciso, entrego, minha força, meu ego/
Meu lado mais cego, minha Cruz eu carrego
Pra ser luz e fazer jus a tudo q prego/
suas mãos trouxeram pregos seus pés trouxeram pregos
Hora, de que vale isso agora/
Porque Crucificaram um dos nossos, mas quem indaga
Se incomodariam se o crucificado fosse a lady gaga/

Com espírito de mudança, é assim que eu acordo! (3x)
Esse é o meu diário de bordo!

Sempre no mei’ de cada, som que escrevo eu percebo que nao sei de nada
E não há rei de nada/
Não aponte pra quem ta na sua frente,
Se você, só você, é seu maior concorrente/
Nesse mar de gente quantos truta já viraram isca
… A grande maldição de quem se arrisca/
As vezes se abre a porta pro futuro
Mas cê ta tão acostumado com ela fechada que ta tentando pular o muro/
Ponto. Parágrafo
Pensando como seria loko um assalto lá no carrefour/
Seus parça no carro em fuga
Sua cara nos procurado
Vai dar autografo nos papeis do advogado/
O mundo gira e eu tenho a impressão
Que quanto mais se estuda menos se usa a razão/
Os homens são de Marte, mas me sinto de Plutão
Pq de onde eu venho os homens se consideram irmãos/
Iguais, eu tenho alguns erros nos meus ombros
Os quais cometi na tentativa de acertar/
Mais não quero que ninguém pague por eles, entendeu?
Pode ficar com o troco, eu mesmo vou pagar/
Eu mesmo vou me achar nesse caminho de pedras
Pelos meus, por noiz, pela voz das quebras/
Que é pra manter a verdade de pé
Pq você não tenta ser real, você simplesmente é…/
Ou não, né?!?

Comentários fechados.