A CORAGEM DA LUZ

“Cê já teve um sonho?”, pergunta Rashid na faixa de abertura do seu primeiro disco oficial. Intitulado A Coragem da Luz, o álbum chega, hoje (18 de março), às plataformas digitais e às lojas físicas do jeito que o rapper paulista sempre sonhou. No trabalho, Rashid conseguiu reunir participações especiais de produtores e de outros rappers e cantores que tiveram importante papel desde que ele saiu de Ijaci, cidade do sul de Minas Gerais onde passou a adolescência. Não à toa, Rashid voltou ao local com o fotógrafo Eric Ruiz Garcia para fazer a imagem da capa do álbum. Lá foi onde o sonho começou e essa jornada é narrada ao longo de A Coragem da Luz.

Trata-se do passo mais sólido do caminho traçado por Rashid, que foi projetado nas batalhas da Santa Cruz e colocou na rua um EP e três mixtapes, além de clipes com superproduções. O álbum explora múltiplas possibilidades sonoras, aponta para o jazz e flerta com o zouk, como atestam os singles “A Cena” (part. Izzy Gordon) e “Depois da Tempestade” (part. Alexandre Carlo), mas nunca foge do peso que é esperado do rap.

O equilíbrio do disco pode ser encontrado na música “Ruaterapia”, um rap classudo e cheio de suíngue que traz as participações especiais de Mano Brown e Max de Castro. É um encontro de gerações que destrincha conflitos internos e que percebe a rua como a melhor terapia. As durezas do cotidiado em uma cidade grande como São Paulo são expressadas em “Homem do Mundo”. Enquanto Rashid rima sobre o turbilhão da metrópole, Criolo entra em um refrão melódico que surge como um sopro de alívio em meio a tanta tensão.

O interlúdio “Como Estamos?” faz uma reflexão sobre a juventude e temas atuais, entre eles a redução da idade penal. Uma letra forte em cima de um jazz elegante que faz a frase “bem-vindo a geração em que os pais enterram os filhos” ecoar de forma poética, porém bastante dolorida. Na cola desta, vem “Laranja Mecânica”. Produzida por Marechal e com participação da cantora Xênia França (Aláfia), a faixa traz um embate entre o homem e a máquina. “É um questionamento ao progresso tecnológico e ao regresso das relações e da convivência em sociedade”, afirma Rashid. Também é um contraste com a próxima canção: “Tudo que Você Precisa”. Com produção assinada por Nave, ela traz um refrão com pegada gospel para falar sobre fé em tempos de intolerância religiosa. “Tenho certeza que o seu messias não aprova o preconceito”, sintetiza.

Outra referência à fé, independente da crença, é “Êxodo” (prod. Parteum). O nome da música remete ao livro da Bíblia que conta a saga de Moisés para libertar o povo hebreu do Egito (com a famosa passagem através do Mar Vermelho). Na faixa, contudo, Rashid conta o seu êxodo particular: a saída da casa dos pais para viver o tal sonho. Aliás, cê jé teve um sonho?

Num clima R&B, “Segunda-feira” parte do dia em que Michel Dias Costa nasceu e percorre até os dias atuais, nos quais ele representa o rap nacional como Rashid. “Essa música é um encontro comigo”, pensa o rapper paulista. Com foco na missão, Rashid chega ao fim da jornada de A Coragem da Luz com a letra leve e bem humorada de “Groove do Vilão”.

A Coragem da Luz é daqueles discos para ouvir de olho na ficha técnica, já que o trabalho é rico no macro e também nos detalhes. A mixagem ficou por conta de Maurício Cersósimo, no Estúdio Mix Nova, em São Paulo, enquanto a masterização foi feita por Tony Dawsey, no estúdio Phantom Mastering, em Nova York. O álbum ainda teve a direção musical de Julio Mossil e do próprio Rashid.

É chegado o momento de A Coragem da Luz ganhar o mundo. Um legítimo álbum de rap com os dois pés fincados na música brasileira que começou como um sonho e se tornou real. Cê já teve um sonho?

Ouça A Coragem da Luz:
Spotify
Deezer
Youtube
Tidal
Napster
Google Play
iTunes

Faixas:
1. Cê Já Teve um Sonho? (Introlúdio)
Prod. Julio Mossil
2. DNA
Prod. Damien Seth
3. Homem do Mundo
Part. Criolo | Prod. Vitor Cabral
4. Como Estamos? (Interlúdio)
Prod. Rashid
5. Laranja Mecânica
Part. Xênia França | Prod. Marechal
6. Tudo que Você Precisa
Part. Godô | Prod. Nave
7. Segunda-Feira
Part. Srta. Paola | Prod. Coyote e Julio Mossil
8. Futuro / No Meio do Caminho
Prod. DJ Caique
9. A Cena
Part. Izzy Gordon | Prod. Rashid
10. Depois da Tempestade
Part. Alexandre Carlo | Prod. Julio Mossil e Alexandre Carlo
11. Ruaterapia
Part. Mano Brown e Max de Castro | Prod. Max de Castro
12. Quem É
Part. Orquestra Metropolitana | Prod. Skeeter
13. Êxodo
Prod. Parteum
14. Reis e Rainhas
Prod. Vitor Cabral
15. Groove do Vilão
Prod. Skeeter

Ficha técnica:
Direção Musical por Rashid e Julio Mossil
Direção Executiva por Daniela Rodrigues e Rashid
Direção de Arte por Felipe Barros
Fotografia por Eric Ruiz Garcia
Gravado no estúdio Flap C4 por Cesar Pierri e Luis Lopes, exceto “Ruaterapia” gravada no NaCena Studios por Max de Castro, “Êxodo” gravada por Vander Carneiro no Atêlier Studios e “DNA” gravada no Comando S por Rodrigo Tuchê.
Mixado por Maurício Cersosimo com assistência de Alejandra Luciani no estúdio MixNova, com exceção de “DNA” mixada por Damien Seth no estúdio Origami (RJ), “Laranja Mecânica” mixada por Luiz Café, instrumental da “Depois da Tempestade” mixado por Daniel Félix no Mosh Studio e “Êxodo” mixada por Vander Carneiro e Parteum no Atêlier Studios.
Todas as faixas foram masterizadas por Tony Dawsey no estúdio Phantom Mastering, em Nova York (EUA).